E aí vamos nós….

Nos últimos anos, 6 anos para ser mais exata, venho travando uma luta interminável contra a balança. Infelizmente minha maior sabotadora sou eu mesma e minha grande ansiedade que dificulta minha perda de peso e tem feito com que de vez em quando eu tenha acessos de fúria contra docinhos… kkkkkkkkk

Bem, tentei uma vez emagrecer com a ajuda de remédios, mas foi a maior roubada em que me meti. O médico me receitou dois, um pra ansiedade (minha traidora) e outro para ajudar no emagrecimento. Tomei os benditos por três meses, fiz uma reeducação alimentar com a ajuda do endocrinologista e perdi só no primeiro mês 5 quilos facilmente.

No entanto, após os três primeiros meses, o médico suspendeu o uso dos remédios, que estavam alterando minha pressão, e com um mês sem o uso deles, ganhei todo o peso perdido anteriormente. Ou seja, esses medicamentos são a maior roubada a não ser que faça uso deles permanentemente.

Já na primeira semana, sem o uso dos medicamentos, meu humor tava de cão. E sentia cheiro de doce por todo canto, é uma loucura psicológica.

Decidi então desistir, que se f…. tudo, já que é meu dilema ser gorda, vou ser feliz. Parei de paranóia e decidi aceitar minha condição. Não fiz mais da perda de peso uma luta, uma guerra a ser vencida. Fechei pra balanço…

Agora, meses depois, não me lembro quantos… Resolvi retomar meu objetivo. Mas dessa vez, quero perder peso por conta da minha saúde, e não para me enquadrar num padrão de beleza tão ultrapassado.

Sou gorda sim, mas sou bonita e me sinto muito bem comigo mesmo…

 

Anúncios

Dilema…

É pessoas, faz tempo que não apareço por aqui…

Faz tempo que venho prometendo postar algo, mas não sei exatamente o quê.

Bem… agora percebo que é porque faz tempo que não me encontro verdadeiramente.

Sabe quando você se depara consigo mesmo e não sabe quem você é nem para onde está indo?

Ando me sentindo assim ultimamente, como se nada fizesse sentido na minha vida. Com exceção da minha boneka, que é a única coisa que me dá razão de existir.

Ás vezes me pego pensando como seria minha vida se tivesse tomado decisões diferentes ao longo da minha estrada. Se tivesse dito alguns nãos ou se tivesse dito outros sims. Chego até a imaginar como seria, ou como não seria.

Como se uma novela fosse florescendo na minha mente, onde sou a protagonista mas ao mesmo tempo uma telespectadora ávida pelos próximos capítulos.

Complicado, né.

Sentimentos são….

Sentimentos são
Fáceis de mudar
Mesmo entre quem
Não vê que alguém
Pode ser seu par

Basta um olhar
Que o outro não espera
Para assustar e até perturbar
Mesmo a Bela e a Fera

Sentimento assim
Sempre é uma surpresa
Quando ele vem
Nada o detém
É uma chama acesa

Sentimentos vêm
Para nos trazer
Novas sensações
Doces emoções
E um novo prazer

E numa estação
Como a primavera
Sentimentos são
Como uma canção
Para a Bela e a Fera
Sentimentos são
Como uma canção
Para a Bela e a Fera

Sempre, desde pequena, sou fascinada pelos filmes da Disney. Mesmo depois de fazer um trabalho na faculdade sobre como os contos de fadas podem ser impregnadas de preconceito, não consigo apagar a  magia deles incrustada no meu ser.

Pode parecer besteira e até mesmo estranho uma “cavalona” de 25 anos fascinada por contos de fada. Acho que esse jeito meio criança que me fez querer trabalhar como professora. O filme que mais gosto é “A pequena sereia;, quando criança fazia meu pai alugar a fita (pré histórico, né) toda vez que íamos  à locadora, e tinha um caderno com a letra de toda sas músicas do filme.

Esta semana, minha coordenadora conversou conosco sobre a possibilidade de montar-mos uma peça, com as crianças, sobre a história da Bela e a Fera, trabalhando com elas sobre valores. Procurando na net sobre o filme e a música tema do mesmo, encontrei a letra que copiei acima, e não sei ao certo porque comecei a refletir sobre ela.

Você, que lê esse post agora, pode achar besteira e dizer :”Acordaaaa, é só a letra de uma música para crianças”, mas não sei porque, me tocou.

Afinal, para pra pensar e vê se não é verdade: quando um sentimento nos arrebata, principalmente o amor, vem de repente sem avisar e sem nossa permissão. Nos aplaca e nos deixa sem reação. Pernas bambas, coração acelerado e qualquer palavra nos soa como sinos ao ouvido.

Pessoas, como eu tô romântica hoje, né.

Ou sensível, sei lá.

Mas e vocês como estão se sentindo hoje?

No entanto, essa regra pode se enquadrar em qualquer sentimento: ira, tristeza, felicidade, etc. Nossos sentimentos são complexos e mutáveis, totalmente inconstantes, alguém discorda? Se discorda, me convença, por favor.

Mas enquanto isso…

Pra quem quiser assistir o clipe da música:

Em inglês:

http://www.youtube.com/watch?v=veAIhluh31c&feature=player_embedded

Ou em português:

http://www.youtube.com/watch?v=ljvfi8qgs4s

Beijokas…..

Aquecendo…

É pessoas estou aqui…

Decidida a levar esse blog adiante, mas meio que sem saber aonde isso vai dar.

Tenho muita coisa a dizer, mas também muito pudor de falar.

Posso falar da minha vida, da minha familia, dos meus amigos, do meu trabalho… enfim, a lista é infinita e com ela as possibilidades.

Bem, para aquecer…

Amo, amo, amo meu trabalho. Sou professora de educação infantil e tenho o enorme privilégio de acompanhar a mesma turminha desde o berçário. Lindos, lindos, lindos…

Uma das melhores coisas do mundo é ver o crescimento e evolução de uma criança tendo a consciência que você faz parte daquilo, que você contribuiu na formação daquela criança-sujeito.

É ver aquela criança fazer algo de novo, como amarrar um sapato, e quando alguém pergunta ela diz: Foi a professora que me ensinou.

É receber uma criança pela manhã ou despedir-se dela à tarde e ela dizer: Te amo!

É impossivel não se apegar aqueles anjinhos. Apesar das loucuras, da bagunça e de toda confusão de 25 crianças a ensinar, cuidar e educar, tudo é recompensado com um beijo, um abraço, um sorriso e até com um simples olhar.

Eu amo amo amo amo meu trabalho…