Moda para gordinhas…

Antes, ser magra era tido como símbolo e referência de beleza em todo mundo. No entanto, isso tem mudado muito internacionalmente falando.

No Brasil essa moda ainda está um pouco timida, mas muitas lojas e grifes já vem se adaptando para atender essa faceta da moda que vem crescendo consideravelmente no últimos anos.

A moda para gordinhas, conhecida como Plus Size, é a revolução que o mundo da moda precisava para desmistificar essa lenda de que para ser bonita é preciso usar tamanho PP ou P.

As vezes, é dificil encontramos lojas que atendam as nossas peculiaridades, e temos que inventar e reinventar para nos vestir. Se você usa G, GG, GGG ou seja lá quantos Gs, o importante e se sentir bem, sem ter que se esconder em roupas largas ou andar só de preto.

Uma maneira  de acabar com esse estresse de entrar em uma loja e sair de lá com a frustração de não encontrar nada que lhe sirva é apelar para a boa e velha costureira. Escolher modelos em revistas, na net e mandar fazer a roupa sob encomenda.

Mas, para aquelas que tem disposição para andar e procurar, muitas lojas já disponibilização tamanhos especiais para atender-nos, ainda em pouca quantidade, sim, mas aos poucos, vamos conquistando cada vez mais nosso espaço.

Particularmente, indico as lojas Pernambucanas, da qual sou cliente, que possui uma linha só de Plus Size, a Anne Claude, a Argonaut e outas, com calças de todos os tipos, blusas, vestidos, moda inverno e muito mais, tudo até a numeração 50.

Outras lojas de departamento também tem um espaço reservado, como a Marisa, Renner, Riachuelo, entre outras.

há ainda as lojas e marcas especializadas. Algumas das que conheço e faço uso são Palank, Lunender e Cativa. A Palank tem loja própria, com um preço salgadinho, mas que vale a pena. Já a Lunender e a Cativa você pode encontrar em lojas de rua e de departamento, ou pelos sites.

Só alguns dos looks disponiveis no site da Lunender…


 

 

 

 

 

 

Pesquisando na net, encontrei no site da revista Gloss outras opções que procurarei conhecer, dentre as que me interessaram estão, a Julia Modas, do 44 ao 54 e a Milanina.

Mas o site dá dicas de outras, além daquelas citadas por mim.

http://gloss.abril.com.br/blog/entre-topetes-e-vinis/2011/07/28/lojas-plus-size-para-todos-os-gostos/

Amei todos… by Julia Modas


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

by do 44 ao 54

 

 


 



 

 

 

 

by Cativa

 

 

 

 

 

 

 

 

Outro portal que encontreina net foi o Posthaus, amei pois tem várias marcas e muitas opções.

Ah, e não posso me esquecer da Program, com várias lojas (no Tatuapé, no Aricanduva, em Santana, Interlargos e também fora de SP, como em Taubaté, Campinas e Osasco – é só buscar no site), além de looks maravilhosos.

 

by Program

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Então galera, vamos a luta, porque opções tem, então chega de se esconder.

Afinal, o que é bonito é para se mostrar, né.

Segue a lista com as lojas e seus sites:

Cativa

http://www.cativa.com.br

Do 44 ao 54

http://do44ao54.virtuapro.com.br

Julia Moda

http://www.juliamoda.com.br/

Lunender

http://lunender.com.br

Milanina

http://milanina.com.br/

Palank

http://www.palank.com.br

Posthaus

http://www.posthaus.com.br/loja/plus-size

Program

http://www.programmoda.com.br/index.asp

Blogando e conversando – eu como edublogueira…

Quando se fala em blog o que nos remete instantaneamente é a um diário virtual, onde as pessoas falam sobre seus sentimentos, suas perdas e suas vitórias. Pura e resumidamente é isso e, ponto. Bem era isso que eu pensava antes das aulas do Profº Jarbas sobre as  possibilidades do uso do blog. Mesmo assim ficava difícil entender completamente a abordagem que ele abordava.

“- Vamos construir um blog!” – ele propôs.

E todas nós, alunas de pedagogia, ficamos alvoroçadas: “- Mas, como?”

Eu pessoalmente, não entendia como poderia escrever sobre a minha vida de forma a não me expor.

Não que eu não entendesse a abordagem do Jarbas quanto a Blogs e seus usos na Educação. Entender eu até entendia, mas não conseguia por na prática, não conseguia enxergar isso sob o ponto de vista dos meus pensamentos e escritos como tema.

Bem, como sempre, os textos do Professor são mais que esclarecedores, são iluminadores e o último que li: “Blog e conversação”, me mostrou como praticar isso no meu blog.

Como utilizar essa ferramenta tão conhecida e utilizada atualmente pela nova geração de jovens a favor da educação. Mas como bem disse o Profº Jarbas em seu artigo:

 

“só iremos liberar todo o potencial prático dos blogs quando estivermos atentos para o lugar que eles ocupam no complexo campo das novas práticas comunicativas. Precisamos ver os blogs não como um fenômeno isolado, mas como parte de um amplo leque de práticas “ciberculturais”, que nos fornecem novos modos de fazer e novos modos de pensar.”

“Blogar no seu sentido mais amplo não é meramente um exercício de escrita, não é também a manutenção de um diário, nem é um grupo de discussão on line, não é tampouco um tipo de intranet , embora possa incluir elementos de todas essas atividades. Se quisermos tirar vantagem do uso educacional dos blogs é vital que orientemos nossos alunos para que estes elaborem sua própria visão da atividade blogueira, e que os ajudemos a situar tal experiência dentro de uma visão mais ampla da ciberdiscursividade”.

“Uma das finalidades de usar blogs no contexto educacional está vinculada ao próprio processo. Da mesma maneira que uma das finalidades de incentivar a escrita de bons ensaios é a de dar assistência aos alunos para que estes desenvolvam habilidades expressivas que possam então aplicar a um grande leque de diferentes situações, pessoais e profissionais, uma das finalidades de blogar deve ser a de encorajar a ciberliteratura e o entendimento da ecologia de link numa sociedade em rede. “

 

Ou seja, precisamos dar sentido ao ato de blogar e não o fazer por pressão de outrem. Deve haver comprometimento e compreensão por parte do blogueiro e do porque blogar. È preciso entender também que o blog não é uma ilha isolado num mar solitário. Ao contrário, o blog é uma pequena flor dentre milhares de flores num grande jardim, que interagem entre si, que sobrevivem uns dos outros. Apesar de possuir um aspecto pessoa por parte de quem o escreve, recebe contribuições de outras pessoas, e por isso mesmo caracteriza-se como algo coletivo, passível de saberes e portanto com uma ponta de aspecto educacional.

Bem, recomendo o artigo a todos que como eu estão descobrindo o ciberespaço e o mundo dos blogs, e também áqueles que já nasceram nesse mundo e que já caminham a passos largos sem dificuldade, pois como eu já disse o artigo é iluminador e com certeza trará novos aprendizagens a todos.

 

E isso aí pessoal, nos encontramos por aí…

 

 

 

Desbloqueada…

Escrever

Palavrinha de 8 letras que me tira o sossego desde 2005, quando iniciei o curso de Graduação em Pedagogia. Escrever trabalhosEscrever projetosEscrever planos de aulaEscrever planejamento… E a tão temida Monografia…

Enfim, escrever foi uma das coisas que eu mais fiz durante esses três anos; escrever e ler.

Quando criança sempre gostei de escrever. Tenho verdadeira paixão pela escrita e pela leitura. Mas o que nunca gostei foi ter de fazer isso por obrigação.

Quando o Profº Jarbas pediu que montássemos um blog como atividade para a disciplina de Tecnologia Educacional, a principio, adorei a idéia e tratei de iniciar o meu blog. Mas quando me deparei com o desafio de escrever para pessoas desconhecidas ou até mesmo conhecidas, veio à angústia e o desespero de não saber o que escrever.

“-O blog deve gerar conversas”.- foi uma das falas do Profº Jarbas ao nos orientar nessa nova atividade. “Não importa qual o tema, desde que gere conversa, seja de autoria própria, mas que não seja um copie e cole do projeto monográfico”.

Primeira puxada de tapete, pois pretendia justamente abordar a questão da leitura, tema da minha monografia. Mas depois percebi que se os textos precisam ser de minha autoria, uma hora iriam se esgotar as vertentes do assunto e eu acabaria por transformando o blog numa extensão do meu TCC.

E assim se passaram três semanas…

Meu blog apresentavase como veio ao mundo: vazio, com apenas um post de três linhas, intitulado “Olá mundo“, onde prometia não decepcionar, mas estava decepcionando

Nesse meio tempo, o Profº Jarbas, durante as aulas de Tecnologia Educacional, nos indicou alguns blogs de ex-alunos e amigos, para visitarmos com o objetivo declarearnossas mentes (a essa altura do campeonato, elehavia percebido a dificuldade que alguns de nós estava enfrentando para escrever).

Entrei em uns 4 ou 5 blogs, comentando em alguns deles.

Semanas depois, ao entrar no meu blog para realizar algumas modificações sou surpreendida por um comentário postado por Lizi, autora de um dos blogs em que comentei. Ela  não só visitou meu blog, como também retornou meu comentário,   me incentivando a prosseguir na escrita de artigos.

liziDisse:
Maio 3, 2008 at 12:25 am e

Olá?! Tudo bem com vc? Não sei se está lembrada, mas vc escreveu um comentário no meu blogalgum tempo atrás, só fui ver hoje seu comentário… confesso que surpreendi-me ao saber que o professor Barato sugeriu meu blog para que dessem uma olhada… fiquei com vergonha ao saber, é que escrevo sobre questões pessoais que às vezes são até meio ridículas… rssrrsrsrs. Mas tudo bem, estou aqui para agradecer as palavras elogiosas e parabenizar pela construção de teu blog… pena queachei um post, confesso que gostaria de ter lido mais, heeeh. Bem, espero que não desista, que não sinta vergonha de escrever, seja qdo falar sobre tua vida ou outras questões ligadas a estudos…no começo a gente fica meio assim, por não saber o que irão pensar da gente e blá, blá…mas depois de um tempo, passamos a ver o quanto o fato de simplesmente escrever algumas linhas diárias, acrescenta em nossa formação. Hoje, escrevo bem melhor que antes, perdi aquele medo e sinto-me mais preparada, tudo isso graças a esta simples ferramenta: o blog.
Desejote muito sucesso e que escreva mais para eu poder ler….
bjs
lizi

Fiquei realmente muito feliz, suas palavras me motivaram muito. Decidi então me dedicar mais à busca de um tema para enfocar no meu blog, e comecei a pesquisar que assuntos poderiam gerar e atrair conversas.

No dia seguinte, li um artigo no Blog Boteco Escola, de autoria do Profº Jarbas. Uma entrevista fascinante e esclarecedora que recomendo a todos.

http://jarbas.wordpress.com/7-blogs-e-educacao-uma-entrevista/

Após a leitura, “abri meus olhos” literalmente, e descobri o que estava me bloqueando para a escrita naquele momento. Entendi, então, que meu principal erro foi me preocupar em escrever algo que outras pessoas gostassem, foi escrever somente preocupada com a opinião do outro. Mas o que importa primeiramente é sobre o que quero escrever, o que me instiga, motiva e me proporciona prazer. Descobri que devo escrever primeiramente para mim; mas direcionado para os futuros visitantes do meu blog. Mas que seja coisas na qual eu acredite, conheça, goste, que faça parte do meu ser. Senão não fará sentido, será apenas inverdades jogadas ao vento

aqui estou eu, na finalização do meu primeiro artigo, que espero, gere bastantes comentários e provoque muita conversa.

Espero, principalmente, os comentários das minhas companheiras de sala sobre a experiência delas nesse processo de construção da escrita do blog de cada uma e sobre os diversos tipos de processos pelos quais passamos durante toda nossa vida; que nos persegue e assusta, mas também nos ensina a crescer.

E pode deixar pessoal, que de agora em diante o que não vai faltar é sobre o que comentar

De agora pra frente …O céu é o limite…

Nos encontramos por aí…

 

Olá mundo!!!

Consegui, iniciei o meu blog…
Caracas não pensei que seria tão difícil!

Meus caros amigos, podem ter certeza que farei isso com muita dedicação.

Obrigada a todos…

Beijokas…

 DESSA