Blogando e conversando – eu como edublogueira…

Quando se fala em blog o que nos remete instantaneamente é a um diário virtual, onde as pessoas falam sobre seus sentimentos, suas perdas e suas vitórias. Pura e resumidamente é isso e, ponto. Bem era isso que eu pensava antes das aulas do Profº Jarbas sobre as  possibilidades do uso do blog. Mesmo assim ficava difícil entender completamente a abordagem que ele abordava.

“- Vamos construir um blog!” – ele propôs.

E todas nós, alunas de pedagogia, ficamos alvoroçadas: “- Mas, como?”

Eu pessoalmente, não entendia como poderia escrever sobre a minha vida de forma a não me expor.

Não que eu não entendesse a abordagem do Jarbas quanto a Blogs e seus usos na Educação. Entender eu até entendia, mas não conseguia por na prática, não conseguia enxergar isso sob o ponto de vista dos meus pensamentos e escritos como tema.

Bem, como sempre, os textos do Professor são mais que esclarecedores, são iluminadores e o último que li: “Blog e conversação”, me mostrou como praticar isso no meu blog.

Como utilizar essa ferramenta tão conhecida e utilizada atualmente pela nova geração de jovens a favor da educação. Mas como bem disse o Profº Jarbas em seu artigo:

 

“só iremos liberar todo o potencial prático dos blogs quando estivermos atentos para o lugar que eles ocupam no complexo campo das novas práticas comunicativas. Precisamos ver os blogs não como um fenômeno isolado, mas como parte de um amplo leque de práticas “ciberculturais”, que nos fornecem novos modos de fazer e novos modos de pensar.”

“Blogar no seu sentido mais amplo não é meramente um exercício de escrita, não é também a manutenção de um diário, nem é um grupo de discussão on line, não é tampouco um tipo de intranet , embora possa incluir elementos de todas essas atividades. Se quisermos tirar vantagem do uso educacional dos blogs é vital que orientemos nossos alunos para que estes elaborem sua própria visão da atividade blogueira, e que os ajudemos a situar tal experiência dentro de uma visão mais ampla da ciberdiscursividade”.

“Uma das finalidades de usar blogs no contexto educacional está vinculada ao próprio processo. Da mesma maneira que uma das finalidades de incentivar a escrita de bons ensaios é a de dar assistência aos alunos para que estes desenvolvam habilidades expressivas que possam então aplicar a um grande leque de diferentes situações, pessoais e profissionais, uma das finalidades de blogar deve ser a de encorajar a ciberliteratura e o entendimento da ecologia de link numa sociedade em rede. “

 

Ou seja, precisamos dar sentido ao ato de blogar e não o fazer por pressão de outrem. Deve haver comprometimento e compreensão por parte do blogueiro e do porque blogar. È preciso entender também que o blog não é uma ilha isolado num mar solitário. Ao contrário, o blog é uma pequena flor dentre milhares de flores num grande jardim, que interagem entre si, que sobrevivem uns dos outros. Apesar de possuir um aspecto pessoa por parte de quem o escreve, recebe contribuições de outras pessoas, e por isso mesmo caracteriza-se como algo coletivo, passível de saberes e portanto com uma ponta de aspecto educacional.

Bem, recomendo o artigo a todos que como eu estão descobrindo o ciberespaço e o mundo dos blogs, e também áqueles que já nasceram nesse mundo e que já caminham a passos largos sem dificuldade, pois como eu já disse o artigo é iluminador e com certeza trará novos aprendizagens a todos.

 

E isso aí pessoal, nos encontramos por aí…

 

 

 

Anúncios