Desbloqueada…

Escrever

Palavrinha de 8 letras que me tira o sossego desde 2005, quando iniciei o curso de Graduação em Pedagogia. Escrever trabalhosEscrever projetosEscrever planos de aulaEscrever planejamento… E a tão temida Monografia…

Enfim, escrever foi uma das coisas que eu mais fiz durante esses três anos; escrever e ler.

Quando criança sempre gostei de escrever. Tenho verdadeira paixão pela escrita e pela leitura. Mas o que nunca gostei foi ter de fazer isso por obrigação.

Quando o Profº Jarbas pediu que montássemos um blog como atividade para a disciplina de Tecnologia Educacional, a principio, adorei a idéia e tratei de iniciar o meu blog. Mas quando me deparei com o desafio de escrever para pessoas desconhecidas ou até mesmo conhecidas, veio à angústia e o desespero de não saber o que escrever.

“-O blog deve gerar conversas”.- foi uma das falas do Profº Jarbas ao nos orientar nessa nova atividade. “Não importa qual o tema, desde que gere conversa, seja de autoria própria, mas que não seja um copie e cole do projeto monográfico”.

Primeira puxada de tapete, pois pretendia justamente abordar a questão da leitura, tema da minha monografia. Mas depois percebi que se os textos precisam ser de minha autoria, uma hora iriam se esgotar as vertentes do assunto e eu acabaria por transformando o blog numa extensão do meu TCC.

E assim se passaram três semanas…

Meu blog apresentavase como veio ao mundo: vazio, com apenas um post de três linhas, intitulado “Olá mundo“, onde prometia não decepcionar, mas estava decepcionando

Nesse meio tempo, o Profº Jarbas, durante as aulas de Tecnologia Educacional, nos indicou alguns blogs de ex-alunos e amigos, para visitarmos com o objetivo declarearnossas mentes (a essa altura do campeonato, elehavia percebido a dificuldade que alguns de nós estava enfrentando para escrever).

Entrei em uns 4 ou 5 blogs, comentando em alguns deles.

Semanas depois, ao entrar no meu blog para realizar algumas modificações sou surpreendida por um comentário postado por Lizi, autora de um dos blogs em que comentei. Ela  não só visitou meu blog, como também retornou meu comentário,   me incentivando a prosseguir na escrita de artigos.

liziDisse:
Maio 3, 2008 at 12:25 am e

Olá?! Tudo bem com vc? Não sei se está lembrada, mas vc escreveu um comentário no meu blogalgum tempo atrás, só fui ver hoje seu comentário… confesso que surpreendi-me ao saber que o professor Barato sugeriu meu blog para que dessem uma olhada… fiquei com vergonha ao saber, é que escrevo sobre questões pessoais que às vezes são até meio ridículas… rssrrsrsrs. Mas tudo bem, estou aqui para agradecer as palavras elogiosas e parabenizar pela construção de teu blog… pena queachei um post, confesso que gostaria de ter lido mais, heeeh. Bem, espero que não desista, que não sinta vergonha de escrever, seja qdo falar sobre tua vida ou outras questões ligadas a estudos…no começo a gente fica meio assim, por não saber o que irão pensar da gente e blá, blá…mas depois de um tempo, passamos a ver o quanto o fato de simplesmente escrever algumas linhas diárias, acrescenta em nossa formação. Hoje, escrevo bem melhor que antes, perdi aquele medo e sinto-me mais preparada, tudo isso graças a esta simples ferramenta: o blog.
Desejote muito sucesso e que escreva mais para eu poder ler….
bjs
lizi

Fiquei realmente muito feliz, suas palavras me motivaram muito. Decidi então me dedicar mais à busca de um tema para enfocar no meu blog, e comecei a pesquisar que assuntos poderiam gerar e atrair conversas.

No dia seguinte, li um artigo no Blog Boteco Escola, de autoria do Profº Jarbas. Uma entrevista fascinante e esclarecedora que recomendo a todos.

http://jarbas.wordpress.com/7-blogs-e-educacao-uma-entrevista/

Após a leitura, “abri meus olhos” literalmente, e descobri o que estava me bloqueando para a escrita naquele momento. Entendi, então, que meu principal erro foi me preocupar em escrever algo que outras pessoas gostassem, foi escrever somente preocupada com a opinião do outro. Mas o que importa primeiramente é sobre o que quero escrever, o que me instiga, motiva e me proporciona prazer. Descobri que devo escrever primeiramente para mim; mas direcionado para os futuros visitantes do meu blog. Mas que seja coisas na qual eu acredite, conheça, goste, que faça parte do meu ser. Senão não fará sentido, será apenas inverdades jogadas ao vento

aqui estou eu, na finalização do meu primeiro artigo, que espero, gere bastantes comentários e provoque muita conversa.

Espero, principalmente, os comentários das minhas companheiras de sala sobre a experiência delas nesse processo de construção da escrita do blog de cada uma e sobre os diversos tipos de processos pelos quais passamos durante toda nossa vida; que nos persegue e assusta, mas também nos ensina a crescer.

E pode deixar pessoal, que de agora em diante o que não vai faltar é sobre o que comentar

De agora pra frente …O céu é o limite…

Nos encontramos por aí…